Domingo, 13 de Novembro de 2011

Anterbençon ne l salimiento de LS QUATRO EIBANGEILHOS (Lisboua)

 

1. Anque hounesto, este ye un sfergante special pa la lhéngua mirandesa, pa la bibliografie de la Bíblia i pa la cultura pertuesa. Fui cumo ato de cultura, hai que lo dezir, que fiç esta traduçon de Ls Quatro Eibangeilhos i la fui podando i apurando al lhargo de bários anhos. Anque se puoda çcutir quales son ls aliçaces de la nuossa cultura, la que chamamos oucidental, cuido que nien aqueilhes que nun son crentes, cumo ye l miu caso, poneran an dúbeda l’amportança de Ls Quatro Eibangeilhos a esse nible. Bien sabemos de la lharga cumbibença, por muitos modos, cun estes testos seia de ls mirandeses seia la mie an special que, por un cachico mais de onze anhos stube ne ls seminários de Benhais i de Bergança, antre 1961 i 1972 [Deixai-me fazer eiqui un paréntese: las bidas que un die bibimos, i cuido que podemos tener mais bidas do que ls gatos,  nun hai que fazer de cuonta que las squecemos i assi querer-las scunder, hai que las aporfelhar puis ye esse l solo modo de las mirar de caras.] Antoce, era neçairo Ls Quatro Eibangeilhos que pudíran ser lidos an mirandés, cada pessona ou anstitutiçon le dando l uso que antenda mais al modo. Ye agora ampossible que alguien querga negar que la lhéngua mirandesa ye ua lhéngua de quemunicaçon para todos ls temas i oucasiones i, para aqueilhes que nel acradíten, tamien ua lhéngua de falar cun Dius.

 

 

2. Ye sabido que l mirandés, assi cumo las lhénguas de la familha stur-lhionesa, ten la sue ourige ne l lhatin, habendo-se formado zde ls remanses que se fúrun acamando al lhargo de seclos na zona acupada puls pobos stures, nun purmeiro tiempo agarrando l bielho reino de Lhion, se ende nun cuntarmos la zona galhega. Ls Quatro Eibangeilhos habien de haber sido traduzidos zde l oureginal griego, mas l miu saber de griego nun dá para tan lhargo tranco. Por esso se me pareciu natural agarrar cumo punto de salida l testo lhatino de la VULGATA, dado cumo sendo de San Jerónimo que, por pedido de l papa Dámaso I, haberá feito la traduçon ou al menos parte deilha, antre la fin de l seclo IV i ls ampeços de l seclo V. Esta traduçon lhatina fui oufecializada pul Cuncílio de Trento (1546), la chamada Uulgata Clementina. L Papa Paulo VI, apuis de l Cuncílio Baticano II, mandou reber esse testo, quedando la nuoba bersion acabada an 1979, que zdende quedou coincida cumo Noua Uulgata. Fui nesse testo que assentou esta mie traduçon, feita antre 2002 i 2004, bárias bezes rebista até al die an que passou a l’ampresson.

 

Las anfluenças que se le podien apegar zde l pertués quedában assi arredadas, indo l mirandés a buer na sue mais clarica fuonte. La prossemidade antre algun bocabulairo mirandés i l lhatin ye tan grande que nun ye percisa qualquiera traduçon, mas ye subretodo al nible sintático que ls peligros de anfluença siempre fúrun mais grandes. Por estas rezones, esta traduçon puode ser tamien amportante na eibeluçon de l mirandés screbido, puis custitui mais ua stada, bien pequeinha que seia, ne l refuorço dua lhéngua que, cumo ye sabido, nun tubo ouportunidade de passar pul sou Houmanismo i l sou Renacimiento.

 

 

3. Splicada la ouportunidade de traduçon de Ls Quatro Eibangeilhos para mirandés i las bantaiges lhigadas a la traduçon feita zde l lhatin, cuido ser ouportuno deixar eiqui un teçtemunho público subre la bibliografie mirandesa de la Bíblia, yá que nun ye coincida de l público i até nien de ls própios mirandeses. Nessa bibliografie hai que retener trés nomes: Bernardo Fernandes Monteiro na fin de l seclo XIX, António Maria Mourinho na fin de l seclo XX i you própio, Amadeu Ferreira, ne ls ampeços de seclo XXI. Tamien se soubo la ambora de que Domingos Ferreira, a bibir an Zenízio, habie traduzido la Bíblia para mirandés, habendo apersentado seis belumes screbidos a mano ne l Museu de Miranda an 2009, mas la berdade ye que essa traduçon nun ye coincida para eiqui se poder falar deilha, sendo cierto que l sou outor la apersentou cumo habendo sido feita zde l pertués. Bamos, antoce, a ber, de modo algo menudo, ls cuntributos pa la traduçon de la Bíblia, que coincemos, eiqui se fazendo un punto de la situaçon.

 

 

 

[O trabalho de tradução de Bernardo Fernandes Monteiro]

 

4. As primeiras traduções conhecidas de textos da Bíblia para mirandês foram feitas por Bernardo Fernandes Monteiro. O manuscrito com a tradução, que se conserva no Museu de Arqueologia, em Lisboa,  é datado do Porto e nele se inscreve o ano de 1896. A obra é oferecida «Ao meu muito prezado primo Manuel Ferreira Deusdado em penhor de profunda sympathia e affectuosa estima». Trata-se de um texto que apenas descobri em 2009, quando já tinha integralmente traduzido Ls Quatro Eibangeilhos. Da leitura que da obra pude fazer penso que seria importante o seu estudo, embora em muitos aspectos Bernardo Fernandes Monteiro se tenha dixado influenciar mais que o razoável pela edição portuguesa da obra. Apesar disso é o mais importante monumento literário escrito do mirandés do século XIX, sendo impensável o estudo da língua sem a esse documento recorrer. Espero que o esquecimento a que tem sido votado acabe muito brevemente.

 

É Trindade Coelho quem nos informa (Reporter, n.º 1509, de 01/01/1897): “a tradução mirandeza é feita rigorosamente sobre o texto portuguez do Padre António Pereira de Figueiredo, que traduziu segundo a Vulgata.” Diga-se que essa era a única edição integral da Bíblia em português na altura disponível, tendo a sua 1.ª edição sido feita em 1842, a que se seguiram várias reimpressões. Em geral, considera-se que era uma edição rigorosa. Faço notar que na altura não estava acessível entre nós a excelente tradução de João Ferreira de Almeida, feita a partir dos textos originais.

 

O destino do volume manuscrito de Bernardo Fernandes Monteiro é algo atribulado. Tendo sido oferecido a Manuel Ferreira Deusdado, passa para as mãos deste e sucessivamente para as de Trindade Coelho, de novo para Manuel Ferreira Deusdado e por fim para José Leite de Vasconcelos que o deixou no seu espólio, embora até há muito se desconhecesse o seu paradeiro. Quero aqui deixar público testemunho das jornadas de pesquisa que no Museu de Arqueologia comigo fizeram o José Pedro e a Mariana Gomes, que tudo fotografaram com grande rigor e profissionalismo, bem como o apoio prestado pelo pessoal da biblioteca desse Museu, em especial a sua directora da altura, dr.ª Lívia.

 

Tendo-a terminado em 1896, podemos perguntar quando começou Bernardo Fernandes Monteiro a sua tradução. Não sabemos e talvez nunca venhamos a saber ao certo. No entanto, alguns elementos conhecidos nos podem aproximar de uma resposta. Com efeito Manuel Ferreira Deusdado começou a publicar textos da Bíblia em mirandês, traduzidos por Bernardo Fernandes Monteiro, em 1894. Tal significa que a tradução terá começado antes dessa data. São dois os locais onde essas publicações foram feitas: a Revista de Educação e Ensino e o jornal diário lisboeta, Reporter

 

 

[A publicação das traduções de Bernardo Fernandes Monteiro na Revista de Educação e Ensino]

 

5. A Revista de Educação e Ensino [Vol. IX (1894), pp. 152-165, 252-265 i 500-507], dirigida por Manuel Ferreira Deusdado, publicou os dez primeiros capítulos do Evagelho de São Lucas, tudo indicando que Bernardo Fernandes Monteiro por aí tenha começado a sua tradução de Os Quatro Evangelhos.

 

Como nota relevante diga-se que o texto é precedido de uma introdução do grande filólogo Aniceto R. Gonçalves Vianna sobre o modo como deveria escrever-se o mirandês. Assim se fixa a primeira grafia do mirandês, funcionando esse texto como uma espécie de primeira convenção ortográfica da língua mirandesa.

 

Na mesma Revista de Educação e Ensino [Vol. IX (1894), pp. 182-184, portanto intercalada entre vários capítulos do Evangelho de Lucas] se publica também o capítulo VII da 1ª Carta de San Paulo als Coríntios. E apenas a tradução desse capítulo chegou até nós [essa epístola tem XIII capítulos], embora comece com o conhecido intróito «Paulo chamado apóstelo de Jasus Cristo por buntade de Dius a Sóstenes nuosso armano».

 

Destes textos retira José Leite de Vasconcelos vários exemplos para ilustrar a sua gramática mirandesa.

 

 

 

[A publicação das traduções de Bernardo Fernandes Monteiro no jornal Reporter]

 

6. No dia 29 de dezembro de 1896, Manuel Ferreira Deusdado escreve a Trindade Coelho, na altura redactor do jornal diário Reporter sob o pseudónimo de Ch-A.Hysson, a seguinte carta por este publicada no jornal Reporter n.º 1509, de 01/01/1897:

 

“Meu caro Ch-A.Hysson:

Visto te occupares das nossas cousas trasmontanas, acho bom que te não esqueças das tradições mirandezas, e principalmente da lingua. O meu primo Bernardo Fernandes Monteiro, por suggestão minha, começou a publicar em 1894 na ‘Revista de Educação e Ensino’, em versão mirandeza, a primeira epístola de S. Paulo aos Corinthios, e o Evangelho de S. Lucas. Ahi tens agora a tradução completa dos quatro Evangelhos, manuscriptos, em bello volume (...)

O distincto philologo e meu amigo, o sr. Gonçalves Vianna, desempenhou-se dessa tarefa, na minha Revista, em 1894. Ha em mirandez já muitos textos publicados, seguindo essa orthographia dos Evangelhos (...)

T.C. 29-XII-96. Ex toto corde: Ferreira Deusdado.”

 

Trindade Coelho passa a publicar, semanalmente, entre os dias 1 de janeiro e 7 de fevreiro de 1897, os trechos correspondentes ao Evangelho da missa de cada domingo. Inicia a publicação logo no dia de ‘Ano Bom’ de 1897, o 1º de Janeiro, com a seguinte introdução:

‘Desejo começar o novo anno, trazendo aos meus leitores, á litteratura e á religião do meu paiz uma novidade encantadora: e é que d’ora ávante lhes darei os evangelhos dos domingos e dias sanctificados, não em portuguez como até aqui, - mas n’esse querido e interessantissimo idioma mirandez, que se falla a dois passos da minha terra, em todo o concelho de Miranda do Douro, limitrophe do meu (...)

Ora é no idioma que elles falam, que eu passo, d’aqui por deante, a dar-lhes os Evangelhos. E de certo que é uma curiosidade inedita para a biographia da Biblia, saber que eu tenho em meu poder, admiravelmente copiados, em livro encadernado que tem 368 paginas grandes, e a duas columnas por pagina, os quatro Evangelhos: S. Matheus, S. Marcos, S. Lucas e S. João.

Auctor deste admiravel e carinhoso trabalho o sr. Bernardo Fernandes Monteiro, 1º aspirante da Alfandega do Porto, e mirandez. E por ser mirandez e muito intelligente, a sua traducção mereceu os gabos do notavel philologo sr. Gonçalves Vianna, e será, já agora, na historia da Biblia, um trabalho não só memorado, mas memorando ...

Veio ás minhas mãos o precioso manuscrito mediante a boa amizade de Ferreira Deusdado, que por ser transmontano, e dos melhores, e dos de lei, veio trazer ao meu carinho pela nossa terra o effusivo carinho que elle lhe dedica.

Bem haja elle; e como quer que seja muito interessante a carta que me escreveu, vou copiál-a para aqui, para que a história fique mais completa, e bem documentado, para a minha gratidão, o favor que me fez.”

 

Por este texto se vê como o ilustre escritor mogadourense percebeu bem a importância da tradução que tinha em mãos. Infelizmente, a tradução de Bernardo Fernandes Monteiro apenas foi redescoberta mais de 100 anos depois, sendo impossível avaliar o impacto que teria tido na língua mirandesa caso tivesse sido publicada em fins do século XIX, como ele desejava e lhe chegou a ser prometido.

 

 

 

[As traduções de António Maria Mourinho]

 

 7. Depois de BernardoFernandes Monteiro foi necessário esperar noventa anos para voltar a ver publicados alguns trechos de Os Evagelhos em mirandês. Tal feito deve-se a António Maria Mourinho, que também foi padre. Porém, apenas conhecemos a publicação de dois pequenos textos: «Prólogo do Evangelho de São João precedido de um pequeno comentário em português para a 3.ª missa do Natal» (Mensageiro de Bragança, 19.12.1987); «Os Evangelhos da Páscoa em mirandês, com um pequeno preâmbulo em português» (Mensageiro de Bragança, 31.3.1988).

 

Estas são os traduções de António Mourinho que conhecemos, mas admitimos que outros trechos por ele tenham sido publicados, em qualquer caso em muito pequeno número e com objectivos litúrgicos. Também não sabemos qual o texto que serviu de base a António Maria Mourinho para as suas traduções.

 

 

 

[O trabalho de tradução de Amadeu Ferreira]

 

[As traduções publicadas no Mensageiro de Bragança]

 

8. No dia 4 de janeiro de 2002 inicia-se a publicação de trechos de Ls Quatro Eibangeilhos em mirandês, no jornal semanal Mensageiro de Bragança. Apesar de já o fazer na nota de tradução com que abre o livro, quero mais uma vez e publicamente agradecer ao dr. Inocência Pereira, na altura director desse jornal, o ter possibilitado a publicação, apesar de poderosas forças na altura se terem oposto. A publicação do texto do evengelho dominical manteve-se semanalmente durante os anos de 2002 e 2003. Na introdução a essa publicação fiz a ligação com a publicação de trechos da tradução de Bernardo Fernandes Monteiro feita por Trindade Coelho no jornal Reporter, entre janeiro e Fevereiro de 1897. Já nessa altura eu falava de uma «fetura publicaçon antegral de Ls Quatro Eibangeilhos an mirandés». Igualmente se apontava o texto da Vulgata como base para a tradução que estava a ser publicada. Entre as pessoas que na altura me incentivaram a avançar com a tradução devo referir o cónego Francisco Moscoso, de saudosa memória e a quem aqui presto a minha homengam, e, por intermédio dele, o Sr. D. António Rafael, na altura bispo de Bragança e Miranda. Outras foram as pessoas que me tentaram dissuadir, nomeadamente dizendo que uma tradução como esta exigia especiais autorizações, mas o meu trabalho sempre foi voluntário e livre, não carecendo da autorização de quemquer que fosse.

 

 

 

[As traduções publicadas no blogue Cumo quien bai de camino]

 

9. No blogue Cumo quien bai de camino http://lhengua.blogspot.pt publiquei [entre 8 de abril e 24 de julho de 2007] a tradução de O Cântico dos Cânticos, que brevemente sairá em livro pela Editora Zéfiro com o título L Mais Alto Cantar de Salomon, com assinatura de Fracisco Niebro. A primeira versão desta tradução foi feita entre Outubro de 2002 e Fevereiro de 2003, tomando como base o texto de Cantar de Cantares de Salomon do profesor da Universidade de Salamanca Frei Luís de León, datado de 1571, e que levou o seu autor a ser preso pela Inquisição de Valhadolide por cinco anos. Tempos em que traduzir a Bíblia era muito perigoso!

 

No mesmo blogue iniciei, em 4 de outubro de 2007, a publicação da tradução de vários poemas do livro de Os Salmos. De cerca de metade [73] de Os Salmos já por mim traduzidos foram publicados 30 naquele blogue.

 

Já em agosto de 2011, no mesmo blogue se publicam trechos de O Livro de Job.

 

Todas estas publicações se inserem num projecto de tradução dos livros poéticos do Antigo Testamento.

 

 

 

[A edição da Sociedade Bíblica de Ls Quatro Eibageilhos]

 

10. Desde muito cedo o Dr. Timóteo Cavaco me fez chegar a sua vontade de se encontrar comigo, através de um aluno meu da Faculdade de Direito da Universidade Nova e seu amigo. Assim se deu o contacto, não sei precisar a data, mas em 2004. Desde a primeira hora, falámos da tradução de Os Evangelhos para mirandês. Através dele tive acesso a vários textos, entre eles a tradução de João Ferreira de Almeida, o texto da Nova Vulgata e o texto sinóptico em grego e em latim, que muitas dúvidas me ajudou a tirar. Foi também por seu intermédio que conheci o grande especialista da Bíblia professor Carlo Buzetti, da Universidade de Milão, com quem tive a oportunidade de almoçar na Casa do Alentejo onde me ofereceu uma bonita tradução piemontesa do evangelho de Mateus. Dele recebi a sugestão de seguir o texto da Nova Vulgata, o que me permitiu uma revisão do texto, tornado o texto traduzido mais solto e de uma sintaxe menos menos complexa, mas mais rigorosa.

 

Já há vários anos que a Sociedade Bíblica aguardava a entrega do texto para publicação, mas eu próprio fui adiando essa entrega, falhando prazos por mim próprio estabelecidos, preocupado com uma mais cuidada apresentação, uma mais rigorosa tradução, um mirandês mais elaborado e, por isso, mais popular. É dever do tradutor ser o mais possível fiel ao texto a traduzir, sem concessões à facilidade ou aos desvios da literalidade, numa atitude de rigor e de humildade que nos faz correr o risco de nunca acabar.

 

O produto aqui está, ainda com muitas imperfeições, mas que espero ter oportunidade de um dia o poder ainda melhorar. Muito obrigado à Sociedade Bíblica e, em especial, ao Dr. Timóteo Cavaco, pela sua ajuda, a sua paciência, o seu profissionalismo.

 

 

 

[O projecto de tradução de todo o Novo Testamento]

 

11. Existe um compromisso com a Sociedade Bíblica de traduzir todo o Novo Testamento para mirandês. Integrados nesse projecto contamos com muitos trechos de algumas epístolas já publicados no Mensageiro de Bragança. Neste momento está em curso de tradução, o Apocalipse. Neste empreendimento tenho contado com o apoio e incentivo do dr. Timóteo Cavaco. Mas só o tempo dirá se serei capaz, pois esse tempo será necessariamente longo. Todas as traduções, com excepção do já referido L Mais Alto Cantar de Salomon, assentam na versão latina da Noua Uulgata.

 

 

 

[Agradecimentos]

 

12. Ye ua honra tener eiqui a apersentar esta traduçon l senhor porsor doutor Aires Nascimento, nome maior antre ls maiores de ls studos clássicos griegos i lhatinos, mediabalista dua eirudiçon defícele de eiqui çcrebir, a quien la nuossa cultura i l’ounibersidade tanto dében. Agradeço-le de l coraçon l haber aceite l cumbite para apersentar esta traduçon para mirandés, ua lhéngua que nunca fizo parte de ls studos del. Mas bien se justeficaba este cumbite seia pul testo que ye traduzido seia pula lhéngua zde adonde fui traduzido. La sue perséncia eiqui ye ua honra mui grande para mi i pa la lhéngua mirandesa.

 

Mais ua beç eiqui s’apersentórun muitos amigos, mirandeses ou nó, benidos de muitas i bárias outras bidas mies. Cun esta son yá trés las bezes que ne ls redadeiros dous meses quejistes respunder al pedido de estar cumigo, nua jornada de cultura i de fiesta de la lhéngua mirandesa, mas tamien, sei-lo bien, de amisade. Ye esta que, mais que todo, me eimociona i me lhieba a dezir bien háiades. Pormeto nun bos tornar a sacar de buosso assossego al menos até al Natal que ende ben. Pa l anho pula cierta teneremos que amanhar outros modos de mos bermos.

 

La mie família, i ls redadeiros son ls purmeiros, Questina, Jesé Pedro (que stá Slobénia i nun puode star eiqui) i Juan, stubírun siempre cumigo, mais ua beç. Bien háiades, puis sien bós tamien nada desto serie possible.

 

Amadeu Ferreira

Lisboua, 12 de Nobembre de 2012

 

 


puosto por fracisco n. às 01:24
| comentar | ajuntar als faboritos
|

.mais subre mi

.buscar neste blogue

 

.Setembro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


.testos nuobos

. Apersentaçon de L PASTOR ...

. TOQUES DE SINOS NA TERRA ...

. Anterbençon ne l salimien...

. Ls Quatro Eibangeilhos - ...

. Intervenção do professor ...

. Anterbençon ne l salimien...

. É POSSÍVEL A SOBREVIVÊNCI...

. TEMPO DE FOGO no Jornal d...

. O Mirandês e a Literatura...

. "La Bouba de la Tenerie",...

.arca

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds